Publicidade

Cabala – O que é? Saiba como funciona? Descubra a sua

Publicidade

A palavra cabala significa uma única coisa: descoberta. O que precisamos entender para entender a prática cabalística é que nós somos almas que vieram do infinito, de onde tínhamos “tudo”, mas não podíamos compartilhar, apenas receber. Então nós precisávamos de um “lugar” onde nós pudéssemos compartilhar, no caso, este mundo. Não tem um momento exato da história em que surgiu a Cabala, para entendermos sua origem, podemos usar como exemplo as leis físicas de Newton. Antes dele escrever sobre a gravidade, as maçãs já caiam das árvores, mas houve um momento em que este movimento foi documentado como gravidade, mesmo ela existindo desde sempre.

Publicidade

Se pensarmos a Cabala, as suas explicações de como o universo surgiu e funciona sempre existiram, mas no caminho, algumas pessoas documentaram os ensinamentos da Cabala por meio de escritos. Um dos livros mais antigos sobre a Cabala foi escrito por Rabbi Shimon Bar Yochai e se chama Zohar. Trata-se de um livro que conta, metaforicamente, que o mundo está em cima de sete pratos energéticos, o que hoje podemos identificar também como as placas tectônicas.

Publicidade

Publicidade

Portanto, considera-se que a Cabala é a essência de várias religiões e não uma religião em si. A Cabala pode ser interpretada como uma tecnologia utilizada para descobrir e se reconectar energeticamente. Neste sentido, ela parte do pressuposto de que cada pessoa é criadora da sua realidade, portanto, para gerar transformações, a única pessoa que precisa mudar somos nós mesmo, para então transformarmos a realidade do entorno.

Popularização da Cabala

Na antiguidade a Cabala era uma tradição secreta que aceitava apenas homens judeus com mais de 40 anos e espiritualmente qualificados, pois os rabinos temiam que as técnicas caíssem em “mãos erradas”. Esta característica de “segredo” se manteve até a década de 1990, quando foi criado um centro de Cabala nos Estados Unidos que passou a disseminar os princípios e estudos sobre ela, com adeptos muito famosos, como Madonna e Demi Moore.

Publicidade

Publicidade

Desde então, a Cabala vem se popularizando em todo o mundo, chegando também no Brasil com centros reconhecidos como o Kabbalah Center Brasil. Atualmente, algumas personalidades brasileiras como Glória Maria, Paulo Ricardo e Marina Lima são praticantes. Existe uma relação entre o ego e o estudo da Cabala que é muito pertinente para artistas e figuras públicas. Na prática, o ego é entendido como uma espécie de Satã, originário de todos os males, aprender a dominá-lo é a chave para o crescimento interior e artístico.

Alguns princípios da Cabala

  • Apenas mais uma etapa: a Cabala acredita na reencarnação, mas ao contrário de algumas religiões, acredita-se que a reencarnação é uma chance de atingir a evolução espiritual que não foi atingida no passado. Vale lembrar que no judaísmo não há reencarnação.
  • Os anjos: ao contrário da visão comum dos anjos, que considera o céu sua casa, na Cabala os anjos são seres que habitam um mundo intermediário entre o plano divino e os seres humanos. Na Cabala os anjos têm a função de realizar a comunicação entre energias e corpos.
  • Deuses: para as pessoas que seguem a Cabala, Deus é uma concentração de luz e energia que está dentro de cada um de nós. Nesta cosmologia, criação e criador se mesclam em um só.
  • Unicidade: somos todos um. Desde o seu princípio os textos cabalísticos pregam que tudo está interligado, em diversos planos e, portanto, qualquer ação gera uma consequência e influencia o todo.
  • Códigos: a Cabala é conhecida por seus códigos que relacionam palavras, letras e números. Por exemplo, o valor das letras de “emet” (verdade em hebreu) soma 9, enquanto a palavra “sheker” (mentira em hebreu) soma 6. São números e propósitos em oposição.
  • Fluxo das energias: pense em um copo d’água cheio, é possível colocar mais água nesse copo? O mesmo pensamento é aplicado nas energias, então para absorvermos energias positivas, precisamos, primeiramente, emanar energias positivas e “liberar espaço”.

Árvore da Vida

Um dos símbolos judaicos da Cabala mais popular é a Árvore da Vida ou Árvore Sefirótica (nome dado a partir de Sefirots, os criadores do universo). Este símbolo é composto por um diagrama de dez esferas: Reino (Malchut, em hebreu), Fundação (Yesod, em hebreu), Majestade (Hod, em hebreu), Resistência (Netzach, em hebreu), Compaixão (Tiferet, em hebreu), Amor (Chesed, em hebreu), Poder (Gevurah, em hebreu), Sabedoria (Chochmah, em hebreu), Inteligência (Binah, em hebreu) e Coroa (Keter, em hebreu).

árvore cabala

Este símbolo assemelha-se a uma árvore invertida, que tem suas raízes tocando o céu e os ramos permanente na terra, significando portanto, a evolução espiritual, na medida em que as raízes buscam os céus e a sabedoria divina, o mundo terrestre.

Participe dos nossos grupos

TelegramCanal Telegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookPágina do Facebook

Curta nossa Página e receba nossas dicas

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.