Publicidade

Frases Jorge de Lima – Poesias Para Mensagens, Fotos e Status

Conhecido como um poeta, romancista, pintor, político, médico, biógrafo e tradutor brasileiro, ele nasceu em Alagoas, mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro em 1930 e assim, seu consultório virou o ponto de encontro de vários artistas da época.

Publicidade

Publicidade

Mesmo lembrado por sua influência no modernismo brasileiro, sua obra acaba passando por vários movimentos e características. Ele tem grande destaque para a poesia, sendo lembrada pelas diferentes formas, referências e extensão.

Publicidade

Publicidade

Veja abaixo as frases mais bonitas desse autor, aquelas feitas especificamente para que você possa compartilhar com quem você ama e muito mais!

Frases Jorge de Lima – Poesias Para Mensagens, Fotos e Status

Frases Jorge de Lima - Poesias Para Mensagens, Fotos e Status
Nem tudo é épico e oitava-rima, pois muita coisa desabada tem seu sorriso cotidiano. Jorge de Lima
Frases Jorge de Lima - Poesias Para Mensagens, Fotos e Status
Ó vida tão confusa e tão lidada, ó sombra tão compacta e tão rochedo, de mim que choro que é que resta? Jorge de Lima
Frases Jorge de Lima - Poesias Para Mensagens, Fotos e Status
Era um poema nascendo, era um mistério, era um novo pecado se movendo. Jorge de Lima
Frases Jorge de Lima - Poesias Para Mensagens, Fotos e Status
Antecedo-me, esbarro-me em mim mesmo. Filiei-me à eternidade sem querer, e agora vago como se vaga a esmo. Jorge de Lima
Frases Jorge de Lima - Poesias Para Mensagens, Fotos e Status
Ó pai, sabei que eu já medi em palmos o meu tamanho pelos outros todos, pelas outra medidas, desmedidas, sombras desesperadas, desgrenhadas. Jorge de Lima
Frases Jorge de Lima - Poesias Para Mensagens, Fotos e Status
Ora, se deu que chegou (Isso faz muito tempo) No banguê dum meu avô Uma negra bonitinha, Chamada negra Fulô. Jorge de Lima
Frases Jorge de Lima - Poesias Para Mensagens, Fotos e Status
Ó Fulô! Ó Fulô! (Era a fala da Sinhá) Vem me ajudar, ó Fulô, Vem abanar o meu corpo que eu estou suada, Fulô! Jorge de Lima
Frases Jorge de Lima - Poesias Para Mensagens, Fotos e Status
Ó Fulô! Ó Fulô! Cadê, cadê teu Sinhô Que Nosso Senhor me mandou? Ah! Foi você que roubou, Foi você, negra fulô? Jirge de Lima

Biografia de Jorge de Lima

Jorge de Lima nasceu em União dos Palmares, onde passou a maior parte de sua infância, sendo que no ano de 1902 se mudou para Maceió com sua família. Foi no jornal do colégio onde começou a escrever poemas.

Publicidade

Publicidade

No ano de 1909, Jorge acabou ingressando no curso de medicina na capital da Bahia, porém foi no Rio de Janeiro que finalizou sua graduação. Ele trabalhou em sua área de formação, porém, foi depois que acabou se aprofundando na literatura.

Além de todo esse seu destaque para o ramo artístico e médico, também foi deputado estadual, conhecido por sua atuação na política e também por ter sido diretor-geral da Instrução Pública e Saúde na cidade de Alagoas.

Ele se dedicou durante muito tempo às artes plásticas, desde pinturas de telas, fotomontagens, colagens, participando ativamente de várias exposições.

Seu trabalho tinha ligação com a vanguarda artística do movimento surrealista, do qual lhe deixou mais próximo do mundo onírico.

No ano de 1930 mudou-se de vez para a cidade do Rio de Janeiro, onde atuou como médico e professor de literatura. No ano de 1935, se tornou o governador do estado, sendo posteriormente, o presidente da Câmara do Rio de Janeiro.

Publicidade

Publicidade

No ano de 1940, acabou recebendo o “Grande Prêmio de Poesia”, que foi concedido pela Academia Brasileira de Letras – ABL. Ele faleceu no ano de 1953, também no Rio de Janeiro.

Principais obras de Jorge de Lima

Jorge de Lima produziu vários textos em versos, poemas e prosa, sempre com foco na cultura brasileira. Ele tem em suas obras os temas de aspectos sociais como o regionalismo e também a religião em foco.

Suas principais obras de destaque, são:

  • XIV Alexandrinos (1914);
  • Poemas (1927);
  • Novos poemas (1929);
  • O acendedor de lampiões (1932);
  • O anjo (1934);
  • A mulher obscura (1939);
  • Poemas negros (1947);
  • Livro de sonetos (1949);
  • Guerra dentro do beco (1950);
  • Invenção de Orfeu (1952).

Ele é conhecido por ter uma obra poética que vai desde o formalismo, o misticismo até mesmo suas recordações de infância, que tem grande influência da cultura negra.

A carreira poética é muito abrangente, indo desde o movimento parnasiano, do simbolismo, com técnicas do modernismo no ano de 1920.

Publicidade

Publicidade

Continue lendo nosso site para ver frases de outros autores, para saber mais sobre signos, sobre religião no geral, simpatias e mais sobre o mundo esotérico.

Participe dos nossos grupos

TelegramCanal Telegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookPágina do Facebook

Curta nossa Página e receba nossas dicas

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.