Oráculo de Delfos – Como funciona? Todos os significados

Oráculo significa previsão do futuro, seja por meio de cartas, entidades ou técnicas. Existe uma infinidade de oráculos: búzios, tarot, sibilla, runas etc.

Um dos oráculos mais misteriosos e famosos é o Oráculo de Delfos, parte deste mistério vem do distanciamento histórico das suas práticas. Delfos era uma cidade da Grécia Antiga destinada ao deus Apolo. Com esta atmosfera, no subterrâneo da cidade acontecia o famoso oráculo. Segundo a mitologia, este local sagrado pertencia à Gaia, deusa da Terra e era cuidado por sua filha Píton. Em determinado momento, o deus Apolo, reconhecido pelo dom da profecia, teria jogado Píton em um abismo e assumido o local.

Quando Píton, em forma de serpente, morreu ao ser jogada do abismo, dali passou a sair um vapor que, segundo a mitologia, seria o vapor capaz de guiar as profecias que deveriam ser feitas por um sacerdotisa. A mitologia traz que as profecias vinham em poemas semelhantes aos usados nos poemas Ilíada de Odisseia, de Homero. A história do oráculo de Delfos segue a história da cidade Delfos. Em 2 a.C. este local sofreu muitos ataques e foi colonizado pelo cristianismo, o que resultou na penalização e assassinato de pessoas que faziam leituras, erradicando a prática.

Como funcionava?

Para começar, apenas para entrar na cidade já era cobrada uma taxa. Ao chegar perto do atendimento, antes de entrar no Templo de Apolo, aquele que estava ali procurando respostas do oráculo, deveria se banhar em uma fonte de água cristalina. Dentro do templo de Apolo, uma sacerdotisa guiava as respostas e faziam previsões, outros sacerdotes também participavam do ritual como uma espécie de conselheiros.

Da fronteira da cidade até o templo de Apolo todo o caminho era considerado sagrado. Tratava-se de um terreno íngreme, com muitas estátuas, tesouros, oferendas entregues ao deus Apolo, que, afinal, era considerado o dono da cidade. Outra prática era o sacrifício de uma ovelha ou de uma cabra antes de entrar no Templo de Apolo.

Apenas cerca de 11 pessoas entravam por ver no Templo. Na hora da consulta, a sacerdotisa e profetisa descia até um local subterrâneo para inalar os vapores que permitiam acessar o futuro. Em 1996 estudos feitos nesta região demonstraram que o local é formado por uma pedra calcária que pode emitir etileno. Etileno é um gás natural que provoca alucinações, o que poderia explicar a relação entre inalar o gás e acessar determinado “transe”.

Uma curiosidade é que ao lado deste templo havia um amplo teatro que foi construído em 4 a.C. e podia receber até cinco mil espectadores. Do Templo de Apolo era possível avistar o teatro, muito movimentado por sessões de leitura de poesias, espetáculos musicais e peças de teatro. Atualmente, a região de Delfos está em ruínas.

O que revela?

O Oráculo de Delfos era usado para revelar coisas dos mais distintos temas e setores da vida. Inclusive, políticos, nobreza e chefes de exércitos se consultavam no Templo de Apolo antes de tomar decisões. Isso está relatado em documentos históricos, como no Livro VII de Heródoto, no qual conta ao general ateniense Temístocles o que o oráculo havia lhe respondido sobre o ataque aos persas:

Ó infelizes, por que permaneceis ainda sentados?
Para os confins da Terra e para longe das alturas da cidade circular
Pois não permanece a cabeça nem o corpo
Nem embaixo os pés nem mãos ou partes médias,
Mas irão juntos, pois o fogo os devorará e Ares bravio, condutor do carro sírio.
Também outras fortalezas ele destruirá, não apenas a tua;
Ao fogo ardente oferecerá numerosos templos dos deuses,
Daqueles deuses que hoje ainda permanecem e gotejam o suor
E se empalidecem de pavor; pois alto, das cumieiras dos templos
Escorre sangue escuro, sinal da desgraça ameaçadora.
Portanto, abandonai as câmaras sagradas e tende coragem na infelicidade

Fonte: Heródoto, Historiai, 7-140. Wikipedia.

Interpretações

Quando o assunto é oráculo é importante termos em mente que a interpretação, a pessoa que está lendo aquele oráculo, é muito importante para a sua leitura como um todo. Isso porque os oráculos são ferramentas interpretativas, nos quais algumas pessoas conseguem decifrar e passar os seus resultados. Portanto, as interpretações dos oráculos são subjetivas, isso significa que o oráculo não é capaz de desvendar causas e sim indicar caminhos.

Se você for fazer uma tirada de oráculo, procure ter perguntas bem diretas e simples, por exemplo: “devo mudar de cidade neste momento?”, dependendo do jogo, as respostas irão indicar um caminho mais abundante ou um caminho mais dificultoso. Agora perguntas como: “as coisas vão melhorar?”, que são muito amplas, costumam ficar nebulosas nas leituras.

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.