Regressão espiritual – Quem foi você em outra vida?

A regressão espiritual é uma técnica psicoterapêutica na qual o intuito é a pessoa acessar momentos do seu passado que geraram consequências no presente, seja atitudes ou comportamentos. Estes momentos podem ter acontecido ontem, há uma semana, há um mês, na primeira infância ou até em vidas passadas. A técnica deve ser utilizada por muito psicólogo, em sessões de terapia e de forma continuada, pois alguns acessos podem ser informações densas de serem trabalhadas.

A questão do acesso a vidas passadas gera bastante polêmica em torno da técnica, isso porque a ciência tradicional desconsidera esta possibilidade. Entretanto, a regressão espiritual é estudada, praticada e foi desenvolvida também por médicos, psicólogos e pesquisadoras. O livro “Muitas Vidas, Muitos Mestres”, do psicoterapeuta Brian L. Weiss é um exemplo de publicação em que foi relatado o acompanhamento de uma paciente que visualiza suas 86 vidas passadas. O livro inclusive resultou na expulsão de Brian do conselho de médicos.

Morris Netherton é considerado o precursor da terapia de regressão espiritual, em 1967. Morris era doutor em psicologia e começou a se dedicar na área de regressão depois de uma série de sonhos com mar que se repetiam. Quando o próprio psicólogo fez a regressão, ele conseguiu acessar uma vida passada em que morreu afogado. Portanto, trata-se de uma técnica e não de uma crença na existência ou não de vidas passadas.

A Hipnose

Normalmente este passado é acessado por meio da hipnose. Alguns textos produzidos no Egito a 1550 a.C. já trazem evidências de que os povos mais antigos utilizavam práticas da hipnose. Mais recentemente a prática foi muito estudada na Alemanha. A hipnose trata-se basicamente de uma indução a um quase sono, um estado de grande percepção interna, entretanto, engana-se quem pensa que a hipnose gera um estado de “coma”, o paciente a todo momento sabe o que está acontecendo, inclusive, ele pode parar a hipnose a qualquer momento.

Algumas questões que podem ser tratadas com hipnose e repressão: traumas, fobia de altura, fobia de lugares fechados, depressão, extrema dificuldade de falar em público, dores inexplicáveis, distúrbios alimentares, síndrome do pânico, transtornos de ansiedade, estresse, insônia, vícios em jogos ou drogas e também problemas com autoestima e problemas sexuais.

É por meio da hipnose que o paciente tem acesso sobre suas vidas passadas. Este acesso não é rápido e momentâneo, o psicólogo irá induzir este caminho por meio de perguntas, estabelecendo um cenário confortável para o compartilhamento do que for sendo descoberto. Esta regressão pode mostrar quem você foi nas suas vidas passadas, quais foram suas escolhas, como foram suas mortes e se algum trauma ainda o assombra no presente.

A importância de desvendar o passado

Desvendar o passado é uma linha de autoconhecimento capaz de trazer transformações tangíveis nas nossas vidas. Quando descobrimos quais são nossas origens, de onde viemos, quem são nossos ancestrais, assim como, quais vidas já vivemos, conseguimos enxergar quais são as raízes das nossas atitudes. Este processo deve ser feito junto a um processo de acolhimento e também fortalecimento, pois alguns aspectos revelados podem ser bem pesados, mesmo sendo do passado.

Nesta linha de investigação, vale a pena remontar todo o histórico da sua família, compreendendo quais impressões culturais estão impressas em seu DNA. Por vezes, temos atitudes que não correspondem com aquilo que acreditamos, o primeiro passo é observá-las, então devemos encará-las, compreendê-las e por fim, abandoná-las. E para isso, olhar o que já passamos é muito importante.

Outro ponto de relevância é significar este passado e isso, muitas vezes, significa entender que o passado ficou realmente para trás e não ficar revivendo como se você estivesse em um looping. Uma boa dica é ter um caderno dedicado a este estudo do seu passado. Neste caderno, anote todas as informações que você conseguir sobre o seu passado e também questões que você está trabalhando na regressão. De tempos em tempos, leia este caderno, preserve sua informações, mas também faça rituais com essas memórias, como queimá-las, quando se tratam de memórias que você gostaria de resolver.

Freud e a hipnose

Antes de se dedicar e desenvolver a psicanálise, Freud utilizava a hipnose como método para as suas terapias. Inclusive, foi esta experiência de anos com a hipnose que indicaram o caminho para os estudos de Freud em torno do inconsciente, conceito este que transformou a história da psicologia. Com o tempo, Freud desenvolveu outro método de investigação por associação e não regressão, resultando na psicanálise, que não conta com hipnose.

Para saber um pouco mais da história de Freud com a hipnose, tem uma série no Netflix chamada “Freud” que aborda este período no início de sua carreira lidando com pacientes traumáticos.

 

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.