10 nomes femininos da umbanda para dar para a sua filha

1 – Jurema

A cabocla Jurema é filha de tupinambá, entidade espiritual, uma deusa e também rainha da cidade espiritual e do seu reino. Este reino, ou Cidade de Jurema é a floresta, morada dos caboclos. Esta cabocla ensina que nenhuma dificuldade que se apresente a nós é maior que a nossa força e a nossa vontade de sermos melhores do que já somos.

Jurema é tão importante que tem algumas linhas: cabocla Jurema da Praia (linha de Iemanjá); Cabocla Jurema da Cachoeira (linha de Oxum); Cabocla Jurema da Mata (linha de Oxóssi); Cabocla Jurema Flecheira (linha de Xangô), Cabocla Jurema do Oriente (linha de Ibeji) Cabocla Jurema Rainha (linha de Oxalá), Cabocla Jurema Preta (linha de Omulu e Obaluaiê), Cabocla Jurema da Lua (linha de Ogum) e Cabocla Jurema Mestra (linha de Nanã Buruquê).

2 – Oiá

Oiá é a orixá do tempo. Na gira, como ela controla o tempo, Oiá surge em momentos de pedidos de trajetória e também atua em “apatizados” (pessoas que são descrentes) para cobrar utilização da fé de forma descompromissada. As filhas de Oiá apreciam a música suave, o estudo, um pouco de isolamento, conversas construtivas e pessoas discretas.

3 – Maria Quitéria

A Maria Quitéria é das uma Pomba Gira mais conhecidas da Umbanda. Sua personalidade é batalhadora, guerreira e forte. É uma entidade tão forte que junto consigo, em terreiros firmes, sete Exús acompanham sua passagem. A história desta Pomba Gira teve início em Lisboa, no século XIX, filha do casamento de uma portuguesa com um brasileiro. Maria Quitéria foi acolhida pelos ciganos após presenciar o assassinato de seus pais. Com o tempo, ela se tornou uma nômade solitária, que lhe rendeu diversas experiências entre as mais diferentes pessoas, o que formou esta personagem tão forte e sagaz para sair de situações complicadas.

4 – Jandira

Jandira é irmã de Jurema e entidade de luz. Filha cabocla de Iemanjá, contam as suas lendas que Jandira era uma grande curandeira em sua tribo, dominava o uso das ervas, fazendo diversas poções medicinais e ajudando todos que a procuravam. Sua linda trajetória é como curandeira e grande conselheira, que ajudava doentes também na solução de seus problemas, sempre fazendo a pessoa ter uma outra visão dos fatos. Por ser enviada de Iemanjá, as oferendas para Jandira podem ser entregues na beira de rios e também no mar.

5 – Jussara ou Juçara

A cabocla Jussara é neta de Tupinambá, filha da cabocla Jurema. Jussara normalmente está acompanhada de seu arco e flecha, usado para defender uma mina d’água junto a seu parceiro Ubirajara. Esta cabocla é considerada a senhora das matas e das cachoeiras e é muito bem vista por Tupã, que a ajuda a trazer paz, união e respeito.

6 – Assucena

A cabocla Assucena é cabocla de Nanã e trabalha com aconselhamentos e também mostrando o karma que cada um carrega.

7 – Iracema

Segundo a tradição, o nome Iracema significa “canta a jandaia”, Iracema é uma entidade que atua na vibração de Oxum e é considerada uma das guerreiras de Jurema, a qual confiou alguns segredos a Iracema, que deve mantê-los. Cabocla Iracema é muito trabalhada na resolução de problemas de ansiedade e casos de depressão. Por trabalhar muito na vibração de Oxum, é também ótima conselheira para casos amorosos, mostrando diversos lados das situações do dia a dia. No Brasil, na cidade de Fortaleza, existe uma estátua de Iracema, na Lagoa de Messejana.

8 – Yansã

Yansã é uma das entidades mais festejadas da umbanda e do candomblé, é faceira e destemida e usa da sua beleza e charme para conquistar seus ideias. Yansã se movimenta como o vento e possui o poder dos raios, entretanto, é calma e sublime, soa como uma brisa, mesmo tendo muito poder. É comum ouvirmos que os filhos de Yansã fazem tempestade em copo d’água, mas a verdade é que se for preciso, Yansã grita até ser ouvida, mas essa sua face surge em momentos necessários.

9 – Ewá

Ewá é uma guerreira e caçadora habilidosa das matas que tem proteção de Oxóssi. Tudo que é inexplorado conta com a proteção de Ewá, como matas virgens, rios que podemos nadar etc. Além disso, Ewá domina a vidência, uma intuição muito apurada capaz de desvendar futuros.

10 – Odara

Odara é a Exú dos caminhos e da comunicação. Além disso, Exú Odara recebeu de Olodumaré a cabeça que contém a alegria humana, então é responsável pela felicidade e bem estar, que podem ser acessadas por meio de oferendas, como por exemplo, jogar por trás dos ombros, em uma subida, um punhado de feijão fradinho torrado com milho e pemba vermelha ralada. Em casa, banho com abre-caminho e folhas de louro.

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.