Publicidade

Caboclo Boiadeiro – História e Significado

Dentro da Umbanda e também no Candomblé, são várias as entidades que são referenciadas, sendo que geralmente, cada uma delas é usada para algum tipo de vertente ou elemento, por exemplo.

Publicidade

Publicidade

Veja abaixo mais sobre quem é o Caboclo Boiadeiro, quais são seus feitos, principais características e tudo que precisa saber sobre o mesmo. Fique ligado!

Publicidade

Caboclo Boiadeiro: quem são?

Publicidade

Essas divindades estão sempre usando chapéus de vaqueiro, com laços de corda, chicotes de couro, sendo que quando incorporam, chegam girando a mão ou batendo em seu peito.

Sempre possuem canções diferentes daquelas que são usadas pelos caboclos dentro da Umbanda, priorizando o terreiro de alegria e muito barulho, principalmente pela sua forma sertaneja.

Publicidade

Publicidade

São variados os nomes que gostam de ser chamados:

  • Vaqueiro,
  • Laçador,
  • Peão Valente,
  • Tocadores de Viola.

Vale a pena destacar que eles são a mistura entre o índio, o branco e o negro, gerando assim o conhecido mestiço. São a representação dos costumes brasileiros em sua raiz, como é o caso das crenças, das superstições e sempre a presença de muita fé.

Há quem chame essas pessoas de “Encantados”, dessa forma, mais conhecido pelos povos do nordeste. Eles são muito trabalhadores e sempre querem livrar seus seguidores te todo o mal, usando de muita fé e atenção como ferramenta.

Linha dentro da Umbanda

Os caboclos boiadeiros são lembrados por estarem praticando a caridade, o que os leva a evolução. Eles estão dentro da linha de caboclos, porém, não tem a atuação exatamente como se imagina originalmente.

Eles estão posicionados em uma linha mais nova dos espíritos, isso porque possuem mais contato com os tempos atuais, sendo rudes quando incorporados, com gestos “broncos” e sem nenhum tipo de harmonia.

Publicidade

Publicidade

A maior finalidade de sua presença é a dispersão da energia que fica presa nos corpos, no ambiente e até mesmo em objetos.

Eles são muito importantes porque procuram eliminar qualquer energia negativa que possa estar armazenada, seja em pessoas ou itens físicos.

É comum que quando quem está no terreiro veja os mesmos gritando, em tom de autoridade, fique com medo, mas na realidade, estão apenas ordenando com que os espíritos que ali estão, saiam para que possam limpar o ambiente.

Os espíritos costumam atender aos boiadeiros pela coragem exalada, sendo levados assim para lugares de doutrina.

Assim, a atuação maior dos boiadeiros é na parte direta do descarrego e também para preparar os médiuns, fortalecendo esses dentro da mediunidade, abrindo as portas para que demais guias possam se achegar.

Publicidade

Publicidade

Além disso, são conhecidos por serem grandes protetores, se assemelhando com os Exus.

Também possuem como atuação principal a de manter a disciplina das pessoas dentro do terreiro, independente se são os médiuns ou a assistência local.

Eles geralmente protegem os médiuns que podem estar em situações perigosas, principalmente pelos seus conselhos, castigando aqueles que querem fazer mal para a religião e seus adeptos.

Eles gostam daqueles seguidores que são fiéis, possuem coragem e são honestos, sendo assim, considerados como seus filhos.

Relação com os orixás

Relação com os orixás

Eles costumam trabalhar diretamente para os orixás, porém, não mudam a sua finalidade já dita acima, sendo que possuem um padrão fixo na hora de falar, de incorporar e de se portar.

Publicidade

Publicidade

Ou seja, aquele boiadeiro que trabalha tanto para Ogum quanto para Iemanjá, atuará da mesma maneira em qualquer uma das linhas que for solicitada sua ajuda, não aderindo as características específicas de cada um.

É importante entender que a grande diferença entre os caboclos boiadeiros está em sua idade, sendo que existem aqueles que são mais velhos, outros mais novos, variando assim, de suas origens, que são diferentes entre si, advindo do norte, do nordeste, do sul e de demais regiões do Brasil.

Eles são a maior representação da miscigenação dos brasileiros, como é o caso dos costumes, das crenças, superstições e também da fé.

Ela é uma das linhas mais conhecidas dentro da Umbanda, principalmente pela necessidade e beleza de quem consegue trabalhar com esses espíritos em específico.

Cantiga para Caboclo Boiadeiro

Seu boiadeiro por aqui choveu

choveu que água rolou

foi tanta água que o seu boi nadou.

Participe dos nossos grupos

TelegramCanal Telegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookPágina do Facebook

Curta nossa Página e receba nossas dicas

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.